quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Daniela Barbosa Cardoso, 40 anos, foi mantida em cárcere privado e também agredida no Residencial Sol e Mar (minha casa, minha vida). A mulher foi agredida com socos e murros em várias partes do corpo e ainda sofreu violência psicológica pelo marido identificado por Osmar de Jesus Santana, do último sábado, 19, até à noite da desta segunda-feira, 21. Segundo a vítima, a primeira agressão ocorreu há quase 01 mês, quando recusou ter relações sexuais, passando a ser ofendida verbalmente e fisicamente e ainda teve a roupa rasgada no corpo. A segunda tortura ocorreu no último domingo, 20, e foi ainda pior. A mulher pediu ao esposo que parasse de ingerir bebida alcoólica porque no dia seguinte iria trabalhar, furioso, o homem não aceitou a orientação e, ao chegar em sua residência, ligou o som no volume máximo, para que os vizinhos não pudessem perceber, passando a quebrar tudo que estava pela frente, vindo agrediu a companheira com uma mordida no nariz, chutes no rosto e nas costas, ficando na mira do agressor que a todo momento ameaçava matá-la com uma faca. A pancadaria só terminou por volta das 19hs, desta segunda-feira, quando Daniela Barbosa pediu ao esposo que deixasse a casa, porém não aceitou o fim do relacionamento, e novamente agrediu a mulher com murros violentos no rosto e na barriga. Bastante machucada e com hematomas no corpo, Daniela foi socorrida e desacordada para o hospital Regional, onde foi medicada e liberada. Por recomendação da família, a vítima não registrou boletim de ocorrência na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam). Temendo ser preso pela lei Maria da Penha, o agressor está foragido.
Rbn


0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.